Nota
1

Garoto, ela realmente te ama. Então, vê se não erra com ela. Essa garota te ama como uma fã ama a um ídolo, talvez porque, você a lembra um super-herói que só ela conhece. Ela faz tudo para te agradar, ela sai espalhando por aí que você é incrível, que é forte, carinhoso, que é tudo de bom. Tem feito tanto isso que já tem causado inveja em muitos. É sem querer, mas quando te vê, ela brilha como nunca brilhou. Ela já amou antes, mas com você é diferente. Dessa vez, ela não tem medo de se declarar, de mimar, de mostrar que é você. Ela não se cansa. Cara, tu tem muita sorte. Ela é uma garota de ouro, essa risada é cobiçada por muitos que apenas esperam um deslize teu. Ela tem se dedicado a vocês, na verdade, a você. Abriu mão dos textões no Facebook, dos poemas, das sociais, da necessidade de tirar foto de tudo, do estar abraçado em qualquer lugar, ela se adequou a seu jeito reservado e longe dos holofotes, onde ela circulava como borboleta em meio a um jardim florido. Ela aprendeu a respeitar teus gostos excêntricos e se diverte ao compartilhar deles contigo. Passa o dia pensando em como te fazer feliz de uma forma diferente e mesmo que esteja com TPM, ela deixa as oscilações de humor para te fazer um carinho quando vocês se encontram. Embora tenha mudado muita coisa, ela ainda tem muito daquela menina que sonhava em ser lembrada nos dias especiais, que gosta de surpresas, que ama as coisas simples e feitas à mão. Ela é simplicidade mesmo que você tenha trago agitação para a sua vida. Ela é pássaro que se deixou cativar. Então, vê se faz dar certo. Vê se a olha nos olhos todos os dias e consegue enxergar essa menina, cuida para que os dias cinzas não a dominem. Vê se lembra das coisas importantes para ela, vê se não falha, vê se não falta. Vê se a escuta com a alma.

Anúncios
Nota
3

Ela é vento que sopra depois da tempestade. Brisa que acalma qualquer conturbação. As pessoas olham para aquela garota e a definem como luz. Ele ri fácil, ri de besteira e de coisa séria. Meio boba para tudo. Do tipo otimista, sempre tem “um brigadeiro no copo depois de um dia difícil”. Mas, não era sempre assim tão simples. Ela não conversa com pessoas, conversa com almas e as traz para si. Às vezes, é difícil lidar com tantas dentro de si, que ela chega a parecer meio ácida. Até que encontra alguma outra daquelas almas tão alto astral quanto ela e tudo volta ao normal. Não que normal significa comum, mas ela fica bem. Como um dia completo, tem momentos em que é dia, mas também é noite. Ela conta as horas enquanto espera, mas também conta sorrisos. Ela é espírito livre que se deixa cativar. O que significa que ela rima com todos os sonhos. Se escolhesse ser algo, seria nuvem, sem lugar para onde ir e chuva em qualquer lugar. Os dias ruins são tratados com esperança. Ela não é princesa, bom, não por linhagem. Mas, é por caráter. Pode não ter sido ensinada nos mais altos costumes da etiqueta, mas em seu coração só reina bondade. Ela não precisa ser “passada a limpo”. É rascunho, na verdade borrão. Uma linda obra de arte feita a seu jeito.

Nota
0

Oiee gurias…temos mais uma resenha no nosso site. Claro que não poderia deixar de falar sobre uma das sensações do momento que é Cinderela. Quem já foi conferir, certamente saiu encantado, sim, eu também…tudo começou com os trailers, principalmente “Frozen: uma febre congelante”. Um filme começar a encantar desde os primeiros segundos é algo realmente surpreendente. A história já conhecemos. Mas, o que me chamou atenção foi o fato de Ella “Cinderela” (Lily James) representar um ideal de liberdade que todas nós temos. Ela não é um estereótipo de coitadinha, tem personalidade, acredita nos seus princípios e os defende. Apesar de perder a mãe, o pai e ter que aturar uma madrasta terrível, irmãs CHATAS e preconceito pela sua classe, Ella é pro-ativa, não espera que lhe pedem para fazer, vai lá e faz, grande parte de sua personalidade se deve à educação que seus pais lhe deram. Esse é o tipo de princesa no qual acredito (embora tecnicamente ela só vire princesa depois que casa). O Kitty (Richard Madden), vulgo “Príncipe”, apesar de não sair muito do perfil de príncipe, ainda surprendeu, principalmente nos últimos minutos e pela sua firmeza. Os coadjuvantes também arrasaram em seus papeis, com ressalvas para a madrasta (Cate Blanchett), quanta classe!! Os efeitos e preocupação com os mínimos detalhes fizeram meus olhos brilharem, quem não ficou babando pelo vestido da Cinderela? E da fada madrinha? e aquela carruagem? Sem contar que a comicidade estava nas questões mais simples do filme. A Disney realmente acertou na dose, e em propaganda, acompanhei cada chamada, cada hashtag, trailer…tudo e eles mantiveram as expectativas. Relembrei meus tempos de criança, a magia não está nos efeitos especiais que utilizaram, mas na ação de cada personagem. Eles não ficaram apenas esperando que as coisas acontecessem. Eles precisavam agir e não somente esperar que as coisas caíssem do Céu ou que surgisse uma fada-madrinha que resolvesse seus problemas e foi o que fizeram. Além disso vale relembrar que até mesmo a fada queria saber o que Cinderela pensasse. A mensagem principal do filme, na minha visão, recaiu sobre a gentileza. Bom, acredito que é disso que estamos precisando: de pessoas mais gentis, mais corajosas, mais cordiais. Que não pensem apenas no seu próprio nariz, mas que também não se deixem ser humilhadas. A magia depende de nós e do que fazemos com os outros por ser quem somos. Enfim, quem aqui não é uma princesa? #EuTambémSouCinderela