0

Os números de 2015

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2015 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 610 vezes em 2015. Se fosse um bonde, eram precisas 10 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo

Anúncios
0

Revéillon|Como e onde usar o branco

Eu tentei me segurar, juro, mas não consegui evitar aqui e vir dar meus palpites de fim de ano, como muitas mulheres ainda estou na busca pelo look perfeito para dar aquelas boas-vindas ao ano de 2016. Se eu fosse vestir tudo o que já montei de combinações na minha cabeça… hahahaha Enfim, vamos ao que interessa 😉

É fato que o lugar no qual passará a noite, influenciará diretamente no seu look da virada, então, atenção para algumas dicas que valerão muito a pena para dar aquela valorizada e animada para o ano que vem chegando.

1- Em Casa

Quem é mais caseira (tipo eu) ou gosta de fugir da correria de todo dia, preferindo ficar em casa com a família ou passar a virada na casa de algum amigo pode chegar mais perto da telinha hahaha. Na certa são ocasiões mais informais com pessoas íntimas e pedem um look mais casual. A dica é: aposte no conforto. Vestidos mais leves,  alça fina com cintura marcada por um cinto valem a pena, saias longas ou curtas, prestem atenção na transparência na saia longa que escolhemos, elas trazem mais suavidade e romantismo ao look. Já no look da minissaia, o bordado deu um ar mais requintado e a camisa branca nunca sai de moda. O macaquinho também entra na categoria, no caso, esse acinturado e gola em V valorizam mais as curvas femininas, também vale como coringa para as indecisas por ser uma peça só. Com o look todo branco, o brilho pode ficar por conta dos acessórios: dourado, prata e pedrarias são bem vindos nas sandálias, bolsas,brincos, cintos, aneis e colares.

Por essa vocês não esperavam não é rapazes? Mas, não me esqueci de vocês neste post. Aquela camisa básica branca com bermuda já refletem a informalidade e trazem consigo o conforto. Vocês podem variar na gola e comprimento das mangas, estampas valem e para aqueles mais criativos, podem apostar até no tie-dye para produzir uma estampa exclusiva na sua camisa branca. Os mais ousados, podem trazer cor ao seu look de revéillon, como no caso da calça laranja, aliás, essa cor já é extrovertida por si só, o que vale mesmo é ter atitude. Já os sapatos podem seguir a tendência do branco ou, se você é adepto do conforto, as alpargatas podem ser um bom investimento na hora de montar seu look.

2-Festa

Ok…pintou aquela festa formal e agora? Nada de neura hahaha Um vestidinho branco sempre cai bem, quer fazer diferente? Coloca um cinto de outra cor. Tecidos mais encorpados já trazem o ar mais formal então…de olho neles! Tenho visto muitos macacões pintando por aí, por que não usar um ? E ainda jogar aquele cardigã por cima e sair por aí esbanjando elegância? Já a renda é sempre bem vinda *–* Além do romantismo, ainda trazem sensualidade e leveza. O que pode fazer a diferença? Cor no salto ou brilho em algum ponto da roupa,na última imagem, vemos um cinto dourado arrasando hahaha.

Rapazes, o total white é lindo, não acham (aqui vai duas opções)? Se não gostam, que tal usar uma só peça na cor branca? A sofisticação fica por conta do blazer que não precisa ficar fechado. Na segunda imagem vemos uma camisa gola V de cor mais neutra e um blazer cinza que permite que vejamos a manga da blusa e a altura da calça também dá aquele ar descontraído de fim de ano.

3- Praia

Há quem goste de pular as sete ondinhas (eu acho que são sete hahaha). Os croppeds estão em alta  e esse de guipir pode ser uma boa opção para quem gosta de mostrar o resultado de meses de academia kkk, a saia longa de fenda lateral encerra o look com chave de ouro e não impede o movimento (no caso, o pulo). Para quem vai passar na beira da praia, mas só olhando mesmo da sacada, pode optar por um longo branco de tecidos mais fluidos que cairão muito bem com a brisa da noite. Macaquinhos e vestidos de renda também valem, os cortes geométricos, com cintura marcada ou não são bem vindos, e por que não um short com algum detalhe em pedraria ou dourado? Afinal, é praia!

Falou em praia, pensamos logo em bermuda branca (mas há quem prefira usar outro tom que não seja o branco)para compor o look de reveillon. Sendo assim, o destaque vai para a camisa: básica, pólo ou social, não importa, vai do gosto de cada um. Mas ,caso prefiram calça, não se esqueçam de dobrar um pouco a barra para não passar a impressão que alguém andou varrendo o chão 😉

Anotaram tudo?

Então, é só curtir!

                       FELIZ 2016!

0

Como dizer adeus?

Oiii meus amores, estava com saudade de escrever para vocês já 🙂 E por isso estou aqui. Fim de ano é bem corrido, disso já sabemos, mas quero aproveitar cada pedacinho desse ano da melhor forma (isso explica que desde o último post, só peguei no computador hoje) e você? 2015 foi  realmente O ano em minha vida e pelas coisas já planejadas para 2016, acredito que essa vibe continuará…boas vibrações, hein galera?

Então, qual seria o tema  ideal para um post de final de ano?

images

Nesse clima de despedidas e expectativas para um novo (re)começo, devo confessar: eu não sei dizer adeus. E evito ao máximo fazer isso, sei lá, apenas começo a suar frio, a sofrer antecipadamente, a evitar isso a todo custo. Não me despeço definitivamente, nem de coisas, nem de pessoas. E isso está acontecendo com 2015, não queria que ele se fosse tão rápido, embora eu esteja ansiosa para saber o que  2016 tem para mim. Foi um dos meus melhores anos, fiz tanta coisa, conheci pessoas novas, lugares novos, fechei e comecei novos ciclos, esse foi meu 2015. E eu não quero dizer adeus.

Por outro lado, se não soubermos dizer exatamente ADEUS, aquilo não acabará definitivamente dentro de você. Esse ano também foi meu ano de despedidas, então, sofri um ‘muitinho’, mas acho que finalmente entendi que despedidas são necessárias, mas também, algumas não são para sempre, embora pareçam.

Todas as coisas (e pessoas) que passaram em algum momento e que por algum motivo serão deixadas te ensinou algo e é isso que levamos: os momentos que passamos com elas. Você jamais viverá completamente um novo ciclo se deixou assuntos inacabados ou se recusa a acreditar que acabou, as novas experiências não serão tão importantes porque nos pegamos revivendo o passado, quando a melhor fase de nossas vidas é o agora porque o passado é um sentimento distante e o futuro ainda é impreciso.

Então, acho que na noite do dia 31, vou me lembrar do meu SUPER ANO  e darei um grande abraço nele, mas estarei preparada para dar a mão para 2016 e saudá-lo como se fosse o MELHOR DE TODOS OS MEUS ANOS. Ouvi dizer que pensar positivo, traz positividade, espero que seja verdade.

 

 

 

 

0

D.I.Y- Chá Baby

Oiiii meus amores e amoras. Aqui estou eu novamente para dar mais uma dica, dessa vez para vocês, futuras mamães ou titias corujas (como eu) que planejam um “Baby Shower” ou Chá de Bêbê ou Chá de Fraldas. Ter um filho não é uma das coisas mais baratas que existem, então, onde se puder economizar, os futuros pais agradecem. Quem me conhece sabe que uma das coisas que mais amo fazer é organizar eventos e eventos baratos então…nem se fala haha. Então se você é do tipo “DIY” (do it yourself- ou faça você mesmo) está no lugar certo. Se não é, fica a dica para fazer um chá de bêbê simples e…barato!

1- Planejamento

É aqui que a magia começa ou termina dependendo do orçamento hahahaha Colocar tudo em um caderno sempre ajuda, começar com rabiscos da decoração, da lista de convidados, do cardápio…além de anotar e salvar as “ideias de inspiração” (nesse caso, o celular também serve).

Sentei em uma mesa com a futura mamãe e conversamos sobre como ela queria a festa. Esse passo é importante, montamos a lista de convidados, cardápio e  conversamos sobre o que ela queria de decoração (como foi surpresa, ela não viu nada até o grande dia).

WP_20151022_004

2- Convites

A ideia inicial era fazer os convites. Mas, como a lista de convidados não foi muito grande, compramos pacotes com 10 convites (R$3,80 cada). Mas, caso fizêssemos, usaríamos essa ideia:

3- Cardápio

Como o Chá foi algo mais intimista, então não tivemos muita preocupação quanto ao que servir já que sabíamos exatamente a preferência dos convidados. Além disso, familiares e amigos  próximos também ajudaram contribuindo com o que podiam ( e tinham em casa):

Creme de galinha: feito pela vóvó.

Salgadinhos: comprados por amigos.

Sucos e Refrigerantes: comprados por amigos.

Bolo: feito por mim.

Marshmallow: comprado pela futura mamãe

4- Decoração

Para a decoração, montamos dois espaços: um para os presentes e fotos e outro para as comidas. No primeiro espaço montamos uma mesa com toalha, colocamos uma televisão na qual passava as fotos do ensaio do bêbê (feito por outra amiga do casal) e um varal com roupinhas de papel, conseguimos uma bolo de fraldas (emprestado por outra amiga) e colocamos brinquedos que tínhamos em casa.

WP_20151024_040

A inspiração do varal de roupinhas pode ser encontrada aqui (no caso, usamos o papel colorset- R$ 0,90 a folha):

No segundo espaço, colocamos nuvens de balões (R$ 7,00 pct) e gotinhas de cartolina (as cartolinas que usamos foram dadas por uma amiga que tinha o material em casa e a linha de nylon custou R$ 4,50 o rolo), uma mesa com toalha, as lembrancinhas e o bolo. Ficou um amor <3.

WP_20151024_021

O espaço foi no salão de atividades da nossa Igreja, mais uma vez, não gastamos nada.

5- Lembrancinhas

Como nossa futura mamãe ama trabalhos manuais, ela fez as lembrancinhas. Como já tinha parte do material em casa de outros trabalhos que já fez, saiu super barato. Ela fez sandálias de E.V.A (R$ 7,80 a folha)  e as embalagens das lembrancinhas de papel A4 colorido ( R$ 0,20 a folha). Encontramos  inspiração aqui:

6- Brincadeiras

As brincadeiras ficaram a encargo de outra amiga que preparou todo o material. Algumas sugestões foram retiradas do site da Pampers.

As vezes, achamos que uma boa festa tem que ser suntuosa e gastar muito. Particularmente, prefiro coisas simples. Tentei colocar a maioria dos preços para vocês terem ideia do quanto foi gasto). O Chá foi para 25 pessoas. O bom foi que todos os convidados participaram de alguma forma de toda a preparação da festa da forma que podiam. Não tirei fotos tão perfeitas  da decoração pronta antes da festa (esqueci esse detalhe), mas o que trouxe para vocês hoje foram apenas ideias. Você também já fez algo do tipo? Quer contar como foi? Sinta-se à vontade 😉

 

 

0

Nasceu O Salvador

Oii meus amores!!

Eis que é Dezembro e quero compartilhar com vocês algo bem especial. Porque além das luzes, árvores, decorações natalinas e Papai Noel. A verdadeira magia está no brilho de um menino que nasceu sem ter um chá baby super animado, que certamente não teve aquelas plaquinhas de porta e lembrancinhas de nascimento para serem entregues. Um bêbê calmo e tranquilo cujo caminho foi apontado por uma estrela. Com a maior singeleza, nasceu aquele que se tornou o Maior de Todos, O Messias prometido, o Emanuel, o Rei dos Reis, O Salvador! Mas você já se perguntou  POR QUE PRECISO DE UM SALVADOR?

Eu sou muito grata por saber que temos um Salvador por meio dEle tudo o que há de errado pode ser concertado, o que era finito jamais terá fim. Porque Ele nasceu eu posso viver!

Quer saber mais? Clique aqui https://www.mormon.org/por/natal.

 

2

“Sabe quando você sabe?”

coracao

Ela estava preparada, dessa vez era tudo ou nada. Aliás, com ela era sempre tudo, não conseguia gostar ou amar pela metade. Ela sabia o que significava a palavra “doar” mesmo que no fim ela fosse sair machucada, mesmo que no fim tudo  o que restasse fosse apenas mais uma cicatriz, ainda não era capaz de não dar o seu  melhor.

Mas a verdade, era que ela estava magoada. Depois de tanto se decepcionar achava que não seria capaz de fazer isso mais uma vez, não do jeito certo. Trazia consigo uma prece silenciosa em seu coração: de que aquela seria a última vez. Mas no fundo ela sabia que era. Foi apenas precaução porque nada poderia estragar aquele momento em que lhe estenderam a mão em troca de um sorriso.

Ele a ouve como um amigo e aconselha como um pai, ele é tudo o que ela precisa e bastou um olhar para saber que aquela era a sua hora. Que ela não precisava estar em perigo para  que ele a encontrasse, na verdade, ela nem o perceberia se ele não soubesse onde buscar seu coração.

Ela já tinha ouvido que aquilo não era mais amor, mas “costume”. Uma hora ou outra o “costume” deveria surgir porque ela planejava passar todos os dias ao lado dele, porque no fundo, ela sabia. Era aquele “costume” que lhe dava a segurança de que finalmente ela poderia dormir tranquila e feliz.

E com ele, não era diferente. Há muito ele tinha aprendido que também precisava se doar por completo se quisesse receber o mesmo. E só havia lugar para ela no seu mundo. Ele sabia que poderia se arriscar na escuridão porque ela lhe emprestaria a luz dos seus olhos.

E não havia fogos de artifício nem nada. Era tudo simples, era tudo quieto, era tudo como eles precisavam que fosse.

 

 

 

0

Sobre frios e expectativas

Oioioi pessoal!!

Antes de tudo muito obrigada por visitarem o blog!!! Vocês me deixam muito feliz ao ver que tem gente que compartilha um pouco das minhas coisas que se tornam nossas na medida em que vocês lêem e se identificam com o que escrevo. Hora de compartilhar as novidades com vocês *—* Lembram que eu falei que estava participando de um processo seletivo? Então…eu passei e o processo era a seleção do mestrado  0/0/0/0/0 Vivi meio angustiada nos últimos meses, mas isso me fez crescer e aprender.  

esconder1

A primeira vez que viajei sozinha me deu um “frio” na barriga. Eu estaria sozinha em um lugar que eu não conhecia, uma cultura que não era a minha. Eu mal conseguia dormir nos dias em que eu estive lá, acordava várias e várias vezes durante a noite achando que eu poderia morrer a qualquer momento. Acho que já perceberam que drama é algo que eu entendo bem hahaha.  Eu me senti bem assim de ontem para hoje. E percebi que a todo instante sempre esperamos algo acontecer, um compromisso que não chega, uma pessoa a qual esperamos ansiosamente, uma meta  a ser alcançada…tem sempre algo além da gente, algo que traz um verdadeiro zoológico ao seu estômago, que te tira o sono, que te faz roer as unhas… e nesse espaço de tempo, passamos por alguns estágios:

O primeiro é o MEDO.

Confesso que eu sou muito medrosa. Se surge algo novo na minha frente, é provável que eu saia correndo e me esconda em algum lugar. Sério, não vamos ter medo de….ter medo! Essa fase é boa pelo simples fato de que te permite uma auto análise: “Ok.. eu não sei lidar com isso. O que eu faço?” O que te leva ao próximo estágio.

O segundo é a CORAGEM.

Meio paradoxal né? Mas só criamos coragem quando temos medo. Não consigo imaginar uma pessoa capaz de passar a vida se escondendo da luz porque tem medo da sombra. Da mesma forma, para vencer o medo, criamos coragem. Um dos meus maiores problemas quando viajei é que não costumo puxar assunto com as pessoas (era muito muito muito tímida), morria (e ainda morro) de medo de falar seja com quem for. Mas eu precisava falar se quisesse encontrar os lugares a que queria ir, se quisesse cumprir o objetivo  a qual me propus. E adivinhem?? Eu consegui vencer esse medo criando coragem. Passei a cumprimentar as pessoas, a sorrir quando conversava com elas….

O terceiro é a AÇÃO.

Uma vez que eu saí da minha zona do conforto, eu não poderia ficar parada. A coragem nos leva a uma decisão: a de agir. De fazer algo por você mesmo. De ter um plano A,B.C…

O quarto é o PROCESSO.

Com seus erros e acertos. Algumas coisas vão dar muito errado, mas isso faz com que isso seja engraçado porque você acabará aprendendo algo que não sabia, mas estava preparado para aprender. Pasmem, eu  queria ir a um lugar e quando cheguei…me perdi completamente porque ele era muto grande, eu não sabia como voltar, mas tive um experiência incrível ao me desviar da rota original e depois, consegui voltar sozinha para onde queria. E aprendi que eu gosto de mudar o roteiro.

O quinto é o RESULTADO.

Eu aprendi muito sobre mim mesma. Quais meus limites, mas principalmente que eu sou capaz. Afinal, quem não ama a sensação de vencer um “frio” na barriga?